quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Reinvertar-se,será o melhor pedido de ano novo. (Espero)

Quantas vezes você está insatisfeito com você mesmo e passa a reclamar da vida?
Chegam as contas do fim do mês, chegam e-mails com as respostas que você não pediu, mas ninguém te entrega aquele pacote escrito "Este lado para cima. Cuidado: Frágil. Amor da sua vida".
Um dos nossos grandes problemas é esperar que os sentimentos mudem para depois mudarmos as atitudes, mas não é assim que funciona. "Eu ainda insisto porque amo de verdade". Opa, espera aí, a única verdade é que você vai amar enquanto insistir! 
Primeiro mude suas atitudes e quando perceber seus sentimentos terão naturalmente se transformado.
Se torne uma bela companhia pra você mesmo.
O problema às vezes não é o caminho, mas o nosso modo de caminhar. Escolha um novo jeito de chegar lá, mas continue com o mesmo destino: o amor, a felicidade, e tudo de bom que você merece e vai buscar! Seja feliz quando estiver triste, a alegria existe para curar a tristeza, o amor existe para a solidão, sorria quando quiser chorar, ser alegre quando não se está alegre é saber dar a você a coisa certa no momento em que você mais precisa.
Salve aquelas mensagens inacreditáveis que ele te enviou, mantenha as ligações nas chamadas não atendidas e doe seu celular para um museu. Sim, tenha fé! Um dia a humanidade não terá mais cafajestes e qualquer coisa de retardados sentimentais (obrigado, Madonna, pela expressão) será relíquia. Um dia covardes vão entrar em extinção e eu imploro: não faça nada para preservar esta espécie. O planeta agradece!

"Tem gente que é tão egoísta, que não reconheceria o amor nem com lentes de aumento. "

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

É Só Saudade .

E tenho a certeza de que meu amor por você está entre os poucos que sobraram estáveis e não rompíveis, e claro, se eu nunca me afoguei nas tantas lágrimas por saudade, em nada mais me afogaria.

E esse tal produto...

O amor é um produto, meu caro, ele não existe, só querem vender para você comprar!. Sei... Os milhões faturados pelos filmes de amor provocam a insistência humana no amor, e os bilhões faturados pelo cinema pornô explicam a vontade humana de fazer sexo? Entendi! É tudo externo, nada interno. Culpa do cinema essa vontade minha de namorar e amar, de amar e ser feliz! Quem disse que temos que amar e ser amados e juntos sermos felizes? Malditos filmes, me iludiram! Também culpa do cinema, essa minha vontade de tocar, de acariciar, de sentir. Quem disse que sexo tem que ter prazer?
O mundo é sim um grande shopping, é verdade que a vida é uma venda e troca de produtos, amor, sexo, e tudo mais, mas ainda é você quem escolhe no que acreditar. E mais: ainda é você quem decide onde prega o seu código de barras. Só não aposte tanto em liquidações, DVD pirata, reprise ou remake, nunca serão como o filme original!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Antes de mais nada, quero deixar claro as minhas inúmeras tentativas de começar essa carta. Escrevi e
(re)escrevi vários começos, maneiras e jeitos de chegar até você . Não foi fácil criar coragem e vir até aqui. Talvez porque tenho expressado meus sentimentos de uma outra forma, procurando abafá-los na tentativa de assim se tornar  mais fácil. Mas chega uma hora que tudo cansa, desgasta. Já não suporto mais guardar tudo aqui dentro de mim e sei que preciso dividir com você, que precisamos conversar. 
Ganhei um livro de um empresário maravilhoso, o qual dava algumas palestras na cidade vizinha. Chama-se Atitudes de Resultado, e lá eu encontrei um trecho que dizia assim ''quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta.'' 
Não quero acreditar que nossos corações se afastaram ao ponto de não encontrarem esse caminho e  a distancia se tornou tão grande que você já não consegue me decifrar apenas com meu olhar e  com meus gestos quando estou triste. Que nenhum de nós temos interesse em conversarmos com o outro que suas palavras já não causam efeito algum sobre mim. Onde foram parar todas as nossas conversas ? Você costumava me ajudar tanto! Me ouvir tanto! 
Mas eu não desisti de nós dois, não desisti daquela relação que tínhamos. Se for preciso sentar todas as noites ao seu lado, mesmo que seja apenas para ficar do seu lado em meio ao silencio, ao vazio, eu fico. Fico deitada no seu colo assistindo programas de TV diários, aqueles, que você odeia, fazendo os mesmos comentários de sempre a respeito de como fulana canta bem ou como ciclano foi mal. Eu fico assim, fico do seu lado. Mesmo se for pra conversar sobre tudo, ou até mesmo nada, nada mais.
Já perdi tanta coisa desde que vim pra cá, natural perder mais uma. 

De tantas mil maneiras que eu posso ser... (:





Quando era pequena, descia a vereda da minha casa que me levava até o rio e pegava caramujo. Junto com ele , um bocado de folhas, gravetos e comida. Guardava num pote e levava pra casa. Cuidava deles onde quer que fosse, observava seus longos passos, dava nomes  e fazia um pequeno furo na tampa porque tinha medo de que  não conseguissem respirar. Mas que belo egoísmo, um mundo lá fora e caramujos presos num pote com um furo na tampa, pois era tudo que tinham, um pequeno orifício na tampa.
Até que numa manhã, lembro que ao acordar e ao olhá-los como de costume, estavam mortos. E foi assim, com caramujos, formigas, borboletas, joaninhas, vaga lumes, principalmente estes, nunca se escapavam de mim, vagalumes era um mérito, e todas as vezes tudo que os dava era o mesmo furinho na tampa.
Mas quando se é criança, tudo é muito fácil , a inocência é muito grande. Deixa-los sob os meus cuidados era muito mais seguro do que soltá-los no mundo lá fora, tinha amor e proteção pelos bixinhos embora  jamais compreendi a morte de cada um. 
E agora, depois de tanto tempo, o exemplo dos insetos me fez entender o que é liberdade, mesmo que com pessoas, não chegou a mudar tanto. Liberdade é dar chances a aqueles que você ama estarem ao seu lado porque querem e não porque estão presos em um pote.Porque escolhi  deixar a tampa aberta para  irem , mas também os dou motivos para voltarem. É saber dá espaço ao outro , a chance de conhecer o mundo e conhecer a si mesmo. É saber diferenciar estar ao lado e acorrentar-se a alma. É poder abrir mão mesmo que o coração implore para que não o faça. É saber guardar o passado, dar tempo ao tempo no agora e ser mais otimista com o futuro. Tudo ficará bem, desde que queira assim. E como dizia Brenna Braz, essa eterna e na minha opinião, gloriosa idealização feminina,liberdade é poder ir, mas querer ficar...
 
 
 
"Dê a quem você ama : 
asas pra voar, raízes pra voltar e motivos para ficar.''

terça-feira, 27 de novembro de 2012

A.me.dron.ta.da

Penso em ti e me vem tantos sentimentos que me perco. Algumas vezes sinto vontade de ficar, mas fujo, pois sou covarde.Depois eu volto e fico, pois sou corajosa. Não quero escapar dessa emboscada que você é. Quero que você entre nessa cilada que sou. Tenho medo, preciso de colo, por favor, me ajude a acreditar que tenho o teu. Você fala dos meus olhos grande e da minha boca rosada, me intimida com tanta doçura e amor. Será que mereço ? - Penso todas as noites antes de dormir. Contigo eu consigo seu EU. Eu desastrada, eu menina carente, eu louca, eu audaciosa, eu lasciva, eu sentimental, eu ciumenta, eu emburrada, eu tão tua, TUA! Inteira e pálida e nua. Me mostro e recuo. Será que mereço? - Penso cada vez que você mostra teu amor por mim. Eu e meus defeitos. Eu e minhas qualidades. Eu e meus devaneios. Eu e minhas paranóias. Não desista de mim. Não me abandone. Por favor, fique. Permaneça. Dure. Eu quero, preciso e desejo.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Nem sei, GAME OVER ?


Ainda que em dias sem tempo quem sempre arranja tempo para aparecer é ela, a saudade. A ciência avança e inventam solução para tudo ou quase tudo, mas ainda não tem um jeito de se voltar de fato ao passado e de se reviver nem que seja por um instante algum momento feliz. Eu trocaria qualquer dia do futuro por um minuto de novo ao lado de quem me rouba os pensamentos. Também não há nada que tenha sido inventado que nos faça viver no presente, estamos sempre presos em um tempo que não é o agora. Estamos no passado, na lembrança feliz, na tristeza ainda não superada ou esperançosos pelo futuro no qual tudo voltará a ser como no passado ou tudo será diferente do presente. Estamos até mesmo no futuro mais próximo aguardando o relógio marcar o fim do expediente para poder ser feliz na volta ao lar ou para aproveitar o fim de semana com os amigos. Nunca estamos no presente nem que seja desejando nunca esquecer o que se vive agora. Algumas vezes a gente queria mudar aquele momento em que tudo mudou, repetir aquele abraço, retribuir aquele beijo, dizer que amava e não sabia, dizer que sabia ou até dizer que amava e sabia, mas temia. Outro dia eu pedi que ele voltasse e durante mais um compromisso eu o vi de novo, à minha frente, lindo. Era ele, era eu, o tempo mesmo que por um instante o trouxe de volta. Mas aos nos olharmos, surpresos, mesmo que por segundos reconhecemos que a gente não mais se reconhecia. Era ele hoje, era eu hoje, e o que vivemos já estava no ontem, não éramos mais como antes e não adianta a gente voltar, pois o que havia não volta junto como que por mágica. O amor é como o sono em noite de insônia, se você não está atento e sonha junto no exato momento em que ele chega o tempo dele passa. Do mesmo jeito se você não está atento no momento em que alguém chega o tempo passa e te resta a solidão. Então se tem que aceitar que o lugar dos amores que não deram certo é na lembrança e não no futuro. Não na lembrança amarga das culpas e dos erros, mas na lembrança doce de quem te deu momentos felizes. E as lembranças acolhem o que chega ao fim no amor, pois o que termina no amor é o relacionamento e não o sentimento. A relação pode durar dias, meses ou anos e um dia acabar, mas o sentimento pode ser para sempre. Pode se continuar amando, mesmo sem mais ter, ver, ouvir, mas ainda se sentir. A lua minguante tímida intimida a confessar esse amor crescente que deixa a alma cheia de vontade de te ter na nova, nova vida que a gente teria se no céu alguma estrela cadente pudesse mesmo sonhos realizar. Então, lua, eu te digo que você estava sobre nós quando por segundos nós dois nos vimos de novo testemunhando que eu não mais vejo, não mais ouço, mas ainda sinto e amo, e no dia seguinte - e em todos os que se seguiram - chega a saudade, que tantas vezes é o sobrenome do amor, para me dar de volta o nosso tempo. Assim, confesso, sim, ainda quero você como o tempo não quer nada além de ser eterno. E eu sigo pensando em como seria se você estivesse aqui ou quem sabe se eu estivesse aí.


"_Eu queria que nós pudéssemos ser amigos...
_Engraçado. É a última coisa que eu quero"
(House)

terça-feira, 16 de outubro de 2012

EXagero!


Há um certo exagero em mim que não pode se calar. Falo muito e falo alto, falo muito alto. Ouço tudo, opino sempre, ofereço ajuda mesmo quando não a pedem. Trato bem até quem não merece, mas faço questão de tratar mal a quem mereça. Digo que amo a quem precisa ouvir. Não digo nada para quem não me faz diferença. Falsidade não a pratico, mas se você for falso comigo apenas lhe oferecerei a reciprocidade. Abraço apertado, beijo sem querer parar e, geralmente, não paro. Aliás, nunca paro, se cansar de mim, me tire da tomada e me coloque pra dormir. Se eu começo vou até fim, o que não quer dizer que eu siga sempre pelo mesmo caminho. Sei o que quero e busco para ter. E, quando quero, eu quero agora, quero para sempre. Quando não quero é para nunca mais querer. Tenho qualidades, tenho defeitos, sou humano, sou real, gosto dos meus erros, mas quero sempre ser alguém melhor. Carrego saudade, sonho com lembranças, planejo o futuro às vezes preso ao passado de um tempo bom que se foi. Choro, sorrio, envergonho, esforço e me canso. Sim, também vou ao banheiro, todos vão, mas poucos lavam as mãos, é esse o diferencial. Eu sempre lavo. A questão não é fazer, mas fazer direito. Não que a perfeição seja uma meta, mas não vou desperdiçar a MINHA vida almejando o imperfeito. Você que faça o que quiser com a sua. Sou sempre quem eu preciso ser. Amigo, amante, carrasco, indiferente, irmão, pai, incentivador, opositor. Há muitos outros aqui dentro de mim, mesmo que em meu meu coração ainda haja só um. Posso estar junto, posso estar distante, não importa. O que interessa é que estou sempre perto de ir cada vez mais longe. Então, me dê licença, estar fora de controle é o meu ponto de equilíbrio, e quanto a você: limite-me se for capaz.

"Às vezes dou trabalho. Mas é como ter um Rolls Royce: se você não quiser ter que pagar o preço da manutenção, mude para um Passat"
(Fernanda Young)

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

E, reticências (...)


Engraçado. Você apareceu exatamente quando eu queria desaparecer. Eu te olhei de longe e achei que poderia ser um ótimo ponto final pra uma antiga história. Nós nos envolvemos e eu aos poucos fui te conhecendo. Decorando suas pintas e segredos. Seria hipocrisia dizer que não nos comparei com cada segundo do meu passado. Mas era diferente. Você realmente se importava com os detalhes. E isso era tão assustador que eu tinha vontade de ficar debaixo do edredom pra sempre brincando de fugir da realidade. Mas amanhecia e ela sempre voltava.
Naquela época eu estava quebrada no chão e você juntou aos poucos cada pedacinho da minha alma. Não criei expectativas. Fui deixando você me montar, me moldar, me abraçar. As pessoas diziam que nós fomos feitos um para o outro. Aquilo não fazia o menor sentido, mas eu adorava quando seu nome aparecia na tela do meu celular no meio da madrugada.
Ficar por perto era como dormir sem escovar os dentes. Eu gostava do risco, mas algo ainda me fazia voltar instantaneamente no tempo. Um aperto. Um espaço. Um voz. Um lugar dentro de mim onde você ainda não conseguia alcançar direito. Eu rezava para esses fantasmas pararem de me atormentar. Fechava os olhos e morria de medo de alguma coisa sair pela minha boca sem querer. Trocar os nomes e as datas.
Os dias foram se passando e cada vez eu me lembrava menos. Ainda me sentia a pior pessoa do mundo, mas acordar ao seu lado, enxergar o sol clareando o quarto pela manhã e ver o seu sorriso se aproximar da minha boca transformando-se em um beijo doce e demorado camuflava a culpa.
Porque diabos a ordem cronológica dos meus sentimentos nunca corresponde com a realidade? Queria poder dividir meu coração em dois. Tirar pra fora a parte infectada. Será que existe médico para isso? Inventaram o nome para essa doença? Tem cura? Eu venderia aquele colar com pedrinhas verdes que ganhei da minha mãe para pagar. Trocaria todas as coisas que posso guardar na gaveta da minha penteadeira por meia dúzia de certezas. Nem precisa tanto vai, por uma só.
Domingo passado estive frente a frente com o meu passado. Sinceramente não sei se estava pronta. Nossos olhos se cruzaram e por alguns minutos foi como se você nem tivesse existido. Queria ser Chronos. Foi tão difícil resistir e ouvir aquelas histórias. Eu poderia correr pra longe, mas fiquei ali, congelada, enfrentando o conjunto de moléculas que eu jurava ser o único que conseguiria me fazer feliz de verdade nessa vida. Quando as protagonistas dos filmes fazem isso parece tão mais fácil.
Eu achava que a álgebra era difícil. Que a prova final do terceiro ano de matemática tinha sido a coisa mais complicada que consegui resolver. Mas aí eu cresci e vi que certas questões em nossa existência exigem mais da gente do que algumas semanas de estudo. Colocar sentimentos e atitudes na balança não é tão simples, mas dessa vez o final da história foi diferente. Não voltei pra casa mais uma vez me sentindo uma idiota solitária que não sabe o que quer. Tudo por mim, por você, pelo que vem aí pela frente. Não vou deixar nossas vidas tomarem rumos opostos. Meu coração é estrábico, mas acho que conseguimos lidar com isso e com aquelas outras coisas que ainda vou te contar no caminho.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Ponto e pronto!

Não é minha missão nessa terra mostrar a você qualquer coisa. Suas escolhas também são suas e, para algumas pessoas, felicidade é o alcance de metas. Eu prefiro que as metas se f*dam... prefiro continuar sendo "rasa" e jogando minha "suposta inteligência" lá pra baixo se isso me fizer mais humana, mais perto do que vislumbro e quero pra mim. Eu não quero ser o vislumbre de um homem arrogante e brilhante que usa, mas muito mal, sua capacidade de análise pra continuar ranzinza e solitário. E, não, eu não fujo de você. Eu me afasto de você. É escolha. Talvez ambos consigamos a nossa "meta", que para mim é temporária e pode ser que se desloque, mas o meu percurso (isso eu garanto) vai ser incrivelmente mais divertido que o seu.

Rabiscado

"Ter: um amor". Fica lá, anotado, rabiscado. Você sonha e precisa sonhar. Sonha com um amor e com conhecer, se apaixonar e casar. Amar se torna um sonho de consumo. O mundo é tão imenso que até te aperta e, para você suportar, o mundo às vezes se encolhe até ficar do tamanho de um cartão que caiba no seu bolso. "Vale-sonho", vem escrito nele, com um pequeno número de telefone ao verso. Cansado de procurar, amar e tentar, você disca e pede para falar com a esperança, mas uma tal de realidade te diz "Tente novamente. A pessoa que você amou não ama ou não existe". Naquele quadro de recados no quarto, naquele em que aquele amor escreveu "sempre" indicando o tempo em que ia ficar na sua vida, recorrentemente você vê o "p", o "r" e depois o "e" sendo apagados e o que você queria para "sempre" se torna "sem". Então bem grande você escreve “TER: SÓ EU”, pois é o que fica, é o que você tem. E você vai seguindo, em um mundo tão grande, com um céu tão distante, que torna difícil se encontrar. Mas você segue e busca. E um dia encontra, como eu encontrei. Um sorriso que faz a alegria parecer pouco demais para o que você sente. Um cheiro que te faz desafiar a Física e quase provar que dois corpos podem ocupar o mesmo lugar no espaço. Uma companhia que torna qualquer programa o mais agradável. Uma saudade que transforma distância em desejo. Um beijo no qual línguas são pontes para tocar e trocar almas. Uma presença que faz de cada segundo um pedido para que o tempo torne eterno o que é tão terno, cada hora juntos. Um amor que te faz querer ser alguém melhor, por você, por ele, por vocês. E eu quero apenas que você saiba que o mundo me traz um sorriso ao rosto para viver, quando eu penso que nele há pessoas como você. Então, naquele mesmo quadro em que você desiludido havia rabiscado “TER: SÓ EU”, alguém, sem que você perceba, tira da vida uma caneta e faz no quadro letras surgirem. E, o que agora se escreve, o mundo inteiro pode ler, “eTERnamente: SOu sEU".

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Medo.

Medo do escuro. Medo de tudo às claras. Medo do mundo. Medo do amor. Medo da falta de amor. Medo de tudo. Medo do nada. Medo da multidão. Medo da solidão. Medo da vida. Medo da morte. Medo, tolo medo, faça-me forte ao ponto de o medo de te sentir me impeça de te permitir. Tenho medo de quem não fui, medo do que não tentei. Medo dos fracassos aos quais não me arrisquei e dos aplausos que evitei ganhar. O coração? Ah, faço minhas as palavras de Shakespeare: "É DO TEU MEDO QUE EU TENHO MEDO".

terça-feira, 11 de setembro de 2012


Acho que me movia a esperança do CTRL+Z funcionar também na versão real de minha existência e não só no computador, mas pouco depois descobri que, no meu caso, o CTRL+ALT+DEL era o mais indicado.
Então chega a hora de RE-CO-ME-ÇAR!
Bom re-começo, para todos nós, afinal, QUANDO O FUTURO DEIXA DE SER UTÓPICO, VIVER PERDE TODO O SENTIDO!

Entre dois Mundos.


A rua é a mesma. O calor também. Depois de algumas horas no ônibus olhando a estrada e viajando, em pensamentos, provavelmente bem mais rápido do aquelas rodas aguentariam, cheguei. Engraçado. Voltar para a casa sempre me faz pensar na vida. Lembrar de algumas coisas e imaginar outras. Não sei se isso é saudável, ou se é mais um daqueles rituais de sofrimento que costumo cultivar quando tenho algum tempo livre. O importante é que quando venho pra cá, do meu antigo quarto, consigo sentir como eu me sentia antes. E às vezes, em épocas de grandes mudanças e pequenas incertezas, isso se torna fundamental e altamente perigoso. Gosto do risco.
Abraçar meu urso de pelúcia. Ficar o dia todo deitada na cama olhando pro teto no escuro.  Escutar carros passando no final da tarde com músicas de gosto duvidoso e no último volume.  Resumindo: Coisas simples que antes eu não dava a mínima e agora fazem meu coração bater mais calmo e feliz. Como aquela antiga voz e conversa rápida no telefone. Que louco, né? O mundo dá tanta volta que às vezes é tão difícil ficar em pé. Mas me apoiando nessas palavras, criei uma teoria. A teoria dos dois mundos. O das pessoas simples e o resto.
No mundo das pessoas simples as coisas costumam ser um pouco mais leves. Menos pose, expectativa e maquiagem. Mais praia, tardes sem grandes acontecimentos com os amigos de longa data e tempo pra bater-papo com a avó. Menos pressão, cobranças e promessas. Mais hoje. Menos atualizações no facebook. O mais importante de tudo: menos necessidade de julgamento dos outros e da vida. Por que precisamos entender cada resto de sentimento em?
Pessoas complicadas geralmente nos prendem. Já as pessoas simples nos deixam ir pra onde precisamos ir. Elas não precisam de tantas explicações, sabe? Simplesmente continuam vivendo e continuam lá. Em algum lugar onde vamos sempre alcançar. Independente do tempo. Da distância ou do que for. Pessoas complicadas estão ocupadas tentando parecer ocupadas. E por mais que isso seja irresistivelmente misterioso, no final das contas, são só pessoas perdidas com suas próprias escolhas e consequências.
Onde eu entro nessa história toda? Sei não. Acho que tenho um pé nos dois mundos. E essa sensação que às vezes me corrompe e consome, como agora, é apenas a consequência da vontade de estar sempre em equílibrio.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

E que venham mais vinteenoves' ;)


Ah como eu queria olhar você agora. Tocar sua pele, sentir seu cheiro e fazer de conta que a distancia nunca esteve entre nós. Falar bem baixo no seu ouvido todas as palavras que durante esses meses, foram apenas escritas. Abraçar você em uma madrugada fria, sem pressa; sem perder nenhum detalhe.

Hoje a tarde lembrei que fazíamos 4 meses, e tive um pensamento bôbo, (coisa de quem se apaixona ^^) que me fez rir sozinha e lembrar do seu tão ludibriante sorriso ;)
Eu já disse que adoro o seu ?!
Então... não ache idiota o que eu te proponho. Me deixa ser o seu smartphone ? (nem sei se isso se escreve assim! )
Prometo te acordar com o melhor despertador do mundo, te distrair para passar o tempo enquanto você está em alguma fila, seja na UECE ou esperando aqueles malditos ônibus, estar ao seu lado e registrar as melhores lembranças (e ainda virei com um filtro para tornar mais belas aquelas lembranças ruins), vou ser rápida no que precisa e bem demorado no que deve ser assim, vai poder me exibir para os amigos quando personalizar meu visual e virei com a exclusiva função "desaparecer por tempo programado", para quando se cansar de mim. Quero ser seu smartphone, é o meu desejo bobo por um amor sério. Aprenda de uma vez, até o mais moderno celular processa em sistema binário. E o amor também é binário ainda que não seja exato: ou você ama ou você não ama. Então, sei que amor não tem confirmação de recebimento, mas estou enviando o meu. Não fique mais procurando o melhor modelo, seja inteligente, me ame! E nesse mundo em que um novo aparelho ou atualização do sistema podem ser a coisa mais aguardada, agradeça se você tiver quem conta as horas pelo seu abraço. 
Eu costumo dizer que tenho medo da minha imaginação...

Mas precisamente falando do que sinto por você, eu sempre acreditei que o amor é bem mais do que três palavras bonitas que fazem tudo ficar bem ou parecer certo no fim do dia.  Tem a ver com olhar para o outro, e enxergar um lugar desconhecido dentro de nós. Perceber então que entre um órgão e outro, existe algo que não podemos explicar. Nem os cientistas, nem os religiosos. Amor não é sinônimo de posse. A presença embora importante, sozinha, não traz felicidade. Ninguém vive preso a ninguém pra sempre. Precisamos mais do que “qualquer coisa” pra dormir com a certeza de que valeu a pena tanto esforço e sacrifício.

Sabe de uma coisa? Nós nunca vamos entender o amor, justamente porque não podemos controlá-lo. Seja dentro, ou fora de nós. Cada um vai crescer, e aprender sozinho, como sobreviver a ele. Alguns vão se casar como nos contos fada e ver algum dia, os filhos se formando na faculdade, outros vão passar a vida sentados em um bar, revivendo momentos que nem existiram de verdade.

Ao contrário do que dizem por aí, o amor não tem um final certo e feliz.  Hoje você vai sorrir e escrever uma carta de amor, mas amanhã quem sabe, ele pode te fazer chorar mais do que qualquer outro dia. Vai saber.

 Acho que às vezes é difícil entender que cada pessoa tem um propósito de vida diferente.  Por mais que a gente imagine, suponha e torça, não podemos decifrar o que o outro realmente quer. Muito menos, ditar. É isso que dói, mas é essa a graça. Acredito que se soubéssemos tudo que se passa no coração de quem a gente gosta, deixaríamos de amá-lo no mesmo instante. A graça é ir descobrindo pouco a pouco, da janela do ônibus, abraçados na cama ou estudando pra prova impossível de matemática/física. Aceitar as diferenças. Amá-las.
Então, Por favor, Senhor Estevão! Não esquece que além de sua gatinha, chata, dengosa, eu quero ser o seu smartphone, viu?
Beeeeeeeeiijo meu dengo! E que venham mais meses de judiação ao seu lado ;)
Obrigado por tudo, pelo amor que vc é e pelo sentimento que me proporciona sentir.
Amo-te ;;

terça-feira, 28 de agosto de 2012

E esse tal de amor ainda me mata.. (suspiros)


A gente passa a vida com medo. Medo de morrer, de ficar tempo demais no emprego errado, de não ter o colo dos amigos quando a gente mais precisa, de não fazer as viagens dos sonhos, de não conseguir comprar a casa própria, de não encontrar alguém para casar e ter filhos.
De todos os medos, o que mais me aflige é o de não conseguir amar. Porque vamos combinar: depois de um, dois, três corações partidos, fica fácil pensar que nada vai dar certo, que as relações viram DRs intermináveis que culminam em mágoas quase eternas.
Nos livros, nos filmes, nas músicas que a gente passa o tempo todo lendo, vendo e ouvindo, todo mundo sofre por amor. E a gente acha lindo, se identifica, quer viver aquela avalanche de paixão, de tesão, de loucura.
Quando chega a vida real, ah aí, não: todo mundo quer o conto de fadas. Quer encontrar no outro a imagem da perfeição, alguém sem um passado que diga muito, alguém que mal tenha um presente ( só se for com você) e cujo futuro esteja inevitavelmente atrelado ao seu e comece a ser planejado imediatamente.
Não, gente, menos! É preciso entender que a gente é a soma de tudo o que viveu, principalmente de tudo o que viveu com outras pessoas. São as histórias de amor que deixam a gente do jeito que é: às vezes mais madura, às vezes mais medrosa, às vezes mais otimista para buscar de novo, mas sempre diferente e mais experiente.
O que a gente é hoje é o que importa. A gente faz o que pode  - e, na maioria das vezes, é de todo o coração.
Para o fim do ano que se aproxima, eu e 90% da população já começamos a fazer um balanço do que se passou. E cada vez mais acredito que os pedidos-clichês são os que a gente realmente necessita: paz, saúde e amor. Tudo para aguentar os furações. Afinal, por mais que o medo insista em se instalar, ainda vale mais uma paixão louca do que um coração congelado.

Contra ou a favor do amor ?


O início pode parecer um tropeço, já que ninguém são vai ser contra o amor, mas há os que, em lapsos de mornas temperaturas, opõem o amor e a paixão. E se o conflito é esse, o título é uma escolha de lados.
A paixão é sempre avassaladora, traz o nosso melhor, o nosso pior, e não deixa saber qual é qual. O amor é uma lareira quentinha que arde continuamente, estável, serena. E quem pode ser contra as lareiras quentinhas, senão os loucos? A paixão é como se toda a energia da lenha queimasse de uma vez, em um brilho que cega e tudo consome, como uma supernova. Depois, talvez só haja lenha em outras constelações, pode aparecer mais lenha, infinitamente, ou pode não sobrar nada jamais. Observe um apaixonado e você vai ver alguém que não está mais de posse das suas faculdades mentais, ou mesmo do mínimo de autocontrole.
Dizem que a paixão é tóxica, e ela é, mas e daí? Nós amamos as drogas. E somente a embriaguez da paixão é digna de arte. O amor, para ser arte, só se for difícil, como os do Calvino, não realizado, como os desprovidos de entrega, ou mesmo completamente impossíveis. Os amores possíveis começam a morrer no dia em que se concretizam, segundo um tal de Eça de Queiroz. Há controvérsias, só que, de fato, nada jamais chegará aos pés do amor que não acontece, este sim mais idealizado que a mais brutal das paixões.
As pessoas falam em histórias de amor e o assunto sempre esbarra em Romeu e Julieta. Até que eu li por aí: “Romeu e Julieta não é uma história de amor. É um romance relâmpago entre uma menina de 13 anos e um carinha de 17, que dura três dias e termina com seis mortos”. É a paixão que torna a história saborosa, assim como a vida. História de amor, amor mesmo, são os primeiros cinco minutos de “UP – Altas aventuras”. É lindo de chorar, mas é isso, cinco minutos de filme. O resto são cachorros falantes no fim do mundo, e nostalgia.
Alguém disse que viu mais amizades que paixões se transformarem em amor. Será? O universo da amizade é muito maior, por ser plural, e existem mais amizades que paixões. Mesmo assim, senão uma fração daquelas se transforma em amor. As que se arriscam, em geral, sofrem de unilateralidade e exílio na “zona da amizade” mesmo.
Esperar que o amor venha da amizade, sem uma paixão devastadora junto, é uma das coisas mais mornas e acomodadas que já ouvi falar. É como uma apólice de seguros. É o amor servido como uma dobrada fria. Você ir fazendo um “filtro de compatibilidade” do seu círculo de amigos, que já são pessoas por quem você tem apreço, até que isso se torne, suavemente, uma opção amorosa, equivale a tratos do tipo “se eu e você chegarmos solteiros aos 40, a gente casa um com o outro, tá?”
Apaixonar-se é dar murro em ponta de faca mesmo. A paixão não cega as pessoas para os defeitos dos outros. Como poderia? O que ela faz é aumentar a nossa capacidade de relevar, de não dar a mínima, de nem ligar que ela tenha essas esquisitices, e não de achar que defeitos não existem e, então, se desapontar quando caem as máscaras, ou quando passa o afã.
Pela sua força explosiva, a paixão é efêmera mesmo. Ninguém consegue se manter nesse estado, nessa intensidade por décadas, anos, ou seriam dias? Difícil achar uma medida de tempo, mas nem o amor consegue essa longevidade toda. Um amor que nasça de uma paixão, de uma conexão profunda formada no coração em chamas de uma estrela, é mais bonito e vivo que um amor sereno, gradativo e limpo.
Orson Welles disse que “se você quer um final feliz, isso depende, é claro, de onde você para a história.”
Pensando bem, paixão é sofrimento e um amor tranquilo é um bálsamo para a alma. O amor é seguro, confia na sua estabilidade. A paixão é onde a gente tropeça, se envergonha, faz papel de bobo e, muitas vezes, acaba sendo a causa do seu próprio ocaso.
A paixão teme o seu próprio fim e por isso se agarra à vida. Mesmo explosiva, a paixão permite que se faça amor de forma lenta, sentida, transpirando o desejo de que aquele momento não acabe nunca, nunca, nunca, que aquele enlace jamais termine. Mas tudo termina, não?
A vida é muito curta. É instável. Pode acabar de surpresa. A paixão é mais parecida com a vida que o amor.
Um universo que força você a escolher entre paixão e amor é um filho da puta, porque o melhor dos mundos é o encontro das duas coisas. Uma vida só de paixão, sem amor, é sofrida demais. Mas se insistem em tornar a paixão um veneno vil, oposta ao amor, então sou contra o amor.

domingo, 12 de agosto de 2012

Me ame como eu sou.

"Mas ele tem que me amar como eu sou". Concordo, quem realmente te amar vai te amar como você é, mas não vai ter que amar (muito menos aceitar) tudo o que você faz! E isso é um pouco diferente. A única pessoa que é obrigada a te amar e achar lindo tudo o que você faz é a sua mãe e ainda assim, vamos ser sinceros, ela vive pegando no seu pé. Família você não escolhe, e por mais que você também não escolha a quem vai amar, você pode escolher entre continuar ou não amando a esse alguém.

Portanto, não pense que o amor verdadeiro será aquele que passa a mãozinha na sua cabecinha e acha lindo tudo o que você faz, por aceitar a missão indigna e injusta de te amar como você é. Não creia que em uma relação em que tudo é aparentemente perfeito reina o amor incondicional e a harmonia. Aposto mais em: a) falsidade conformista, b) estar com alguém por interesse, ou, no que é ainda um pouco mais triste, c) alguém egoísta se relacionando com alguém frustrado, que não sabe como dizer ao outro que precisa de mais, principalmente, por esse outro querer mais e mais pensar nele mesmo! É isso o que você quer?

Se a resposta for "não" continue lendo, se a resposta "sim" aí que você deve mesmo continuar a leitura! Você veio ao mundo para evoluir, para crescer, para se tornar alguém melhor. Uma relação amorosa tem o objetivo de te ajudar nessa missão de ser alguém melhor, de evoluir. Sendo assim, quem está ao seu lado não pode e não deve, se realmente te amar, não pedir que você melhore. A única pessoa que não vai te apontar os seus defeitos e pedir mudanças chama-se inimigo, e você, definitivamente, não quer dormir com o inimigo, certo?

Então, reflita, pense, permita-se crises de existência, silêncios (que podem falar mais do que palavras não pensadas) e mude, para melhor. Amar é querer que o outro esteja bem, relacionar-se é dar-se ao outro e, por amar, compartilhar vidas, construir uma vida juntos. Só que a gente sempre sabe que a casa se começa pelo alicerce, no chão, na pedra bruta, mas todos querem ir direto para o acabamento, né? Mas, lamento, sossega esse coração em chamas, para não constatar em breve que "a casa caiu". Ninguém ama o que não conhece e ninguém constrói nada duradouro sem bases sólidas.

Que tal acreditar que toda ação tem uma reação e ao invés de indignar-se tanto com a reação de quem você magoou, modificar a sua ação? É o que você fez que provocou a reação, a reclamação, a briga, a queixa, a desavença, por isso, mude!

E, ah, seu amor vai sim te amar assim como você é, mas não peça ao seu amor para ver você se contentar em ser um grafite, enquanto ele sabe que você, se quisesse e permitisse a ajuda dele, poderia ser um diamante. Acorde rápido, antes que quem você ama decida garimpar em outras minas.
"No nosso amor eu não esperava que você me julgasse por agir errado, eu esperava que você me ensinasse a agir certo"
(Brothers & Sisters)

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Príncipes ou SAPOS ? Eis A questão!


"E viveram felizes para sempre!". Quando eu era pequena eu ouvia, assim como você, a história dos príncipes encantados. A princesa estava em perigo, o amor era a salvação, o príncipe aparecia e tudo tinha um belo final, com passarinhos cantando, bules falantes e cavalos brancos com asas. Hoje acho mais fácil encontrar um bule que converse, um passarinho cantando Frank Sinatra e voar nas costas de um cavalo branco do que encontrar um príncipe encantado. Não que os príncipes não existam, o problema é que eles perderam o encanto!
Os tempos passaram e os príncipes mudaram. Largaram os cavalos brancos e agora querem surgir montados em Ferrari, Cherokee, ou Honda. Esqueceram de matar o Dragão para salvar o amor e passaram a pegar tudo quanto que é "dragão" que surge na reta. Trocaram a calça justa e a capa por roupinhas de playboyzinho compradas em qualquer Vide Bula da vida. Deixaram de colecionar virtudes e batalhas vencidas contra o mal para somar amores de uma noite. Se tornaram tão dignos que não dá para saber se é melhor amar a bruxa ou o príncipe.

sábado, 30 de junho de 2012

Tempo... Tempo.

Ele anseava por algo que o acalentasse. Ela, que a desafiasse. Mal sabiam quando, ou onde, ou de que forma, mas abraçavam corajosamente o caminho que se abria. Sozinhos.

E se no segundo de um beijo perdido é que se abre a possibilidade do amor, existiu aquele que representou a certeza de que sem sentimento é desperdício. 

O que não se procura do jeito certo não se acha. 

Nunca foi tão difícil entender.
Quanto aquele dia.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

(SUS-PIROS) ...

Ser solitária, muitas vezes e infelizmente, não há como evitar. Agora a solidão dá pra deixar de lado. Solidão é sentir-se vazia, incompleta e infeliz. Solitária é não ter alguém fisicamente ao lado. O segredo está em o que fazemos ao ser ou estar solitária. Afinal, qual é o mérito em ser feliz quando tudo está perfeito? Os verdadeiros heróis são aqueles que se fazem felizes, mesmo na tristeza. Esses sim, ganham as batalhas! É melhor aprender a se curtir, se amar e ser feliz com você mesma, antes que ninguém te ature e além da solidão você fique solitária também. Hoje, essa solitária solidão vai ficar em solo. Abri espaço, para um solitário (por enquanto) coração respira aliviado. Se antes só do que mal acompanhada, digo: agora só e muito bem acompanhada, de mim, de esperança, e de tudo que há de bom e o futuro ainda me reserva. Ah, solidão, dessa vez, vou te deixar sozinha!!!
Meu medo era que as mudanças climáticas começassem a acompanhar as mudanças desta minha quente inconstante alma. Mas não preciso me preocupar, meu coração é daqueles imprevisíveis que agem sempre da mesma maneira. Mesmo assim é um conforto, ver tanto frio lá fora e tanta coisa quente e viva aqui dentro. Para o frio da pele um cobertor. Para o frio da alma, um abraço. Pena que as pessoas não são como o cobertor. Tem gente que não se toca nem sacudindo a poeira, lavando para tirar o cheiro velho de naftalina (usada para afastar velhas paixões), deixando de molho no melhor dos amaciantes, e colocando para pegar sol. Tem gente que nasceu para aquecer, tem gente que nasceu para abraçar. Faz frio, lá fora, mas não aqui dentro. Porque muda o clima e a vida acorda, mas eu sempre volto a sonhar.

E " as melhores contradições estão nas coisas mais claras."


Muitas vezes é preciso se afastar de algo para se perceber a beleza que algo possui, tudo muito de perto tem não só mais defeitos, mas também mais exigência de quem observa. A proximidade em excesso pode resultar em distância entre as pessoas. A beleza de algo, por vezes, está em ser a primeira vez que vemos, depois a raridade se torna comum e deixamos até de dar valor ao que deveríamos fazer questão de nunca perder. Mas perdemos. Nos perdem. A vida é perda consecutiva e no fim se perde a vida, mas enquanto a temos precisamos buscar o melhor, ainda que seja difícil encontrar o melhor, perceber o melhor e mais difícil ser e manter o melhor, para nós e para quem amamos. Acho que se tratando de coração o melhor é o que não é o óbvio, e é a vida que me ensina isso, quando eu quero aprender. O melhor não é fácil, o melhor não é barato, o melhor demora. Os melhores shampoos são os que não têm propaganda na TV. Os melhores livros são os que não se parecem com os resumos. Os melhores filmes são os que não passam em todos os cinemas. As melhores músicas de um CD são sempre as que não fizeram sucesso algum. Os melhores amigos são aqueles com os quais você pensava não ter nada em comum. As melhores compras são as que não foram programadas. Os melhores beijos são os que você deu sem expectativas. Os melhores presentes são os que você não pensava em ganhar. Os melhores encontros são os que não foram marcados. As melhores comidas são as que você fez só com o que tinha no armário. As melhores viagens são as internas. Os melhores passeios são os para os destinos menos badalados. A melhor lata de leite condensado é a que não alcançamos no armário. As melhores contradições estão nas coisas mais claras. O melhor do fim ainda é a saudade. O melhor do encontro é a espera. Talvez, por tudo isso junto, as melhores lembranças podem ser do que queremos esquecer e os melhores amores são os que nunca aconteceram.


Ruleandeson do Carmo, ele é lindo, eu sei. Brilhante !

terça-feira, 12 de junho de 2012

Pra você, moço travesso !


E eu acho que tudo que se sente em relação a sentimentos: paixão, amor...entre vários outros, não existe palavras cabíveis, sabe?
Existem coisas inefáveis!
E vc é uma delas .

  Pro meu moço travesso, hoje, 12 de Junho (:

Talvez .

Talvez o amor não seja o que sonhei. Talvez o tempo não traga o que esperei. Talvez meu destino seja nunca ter. Talvez eu não seja a pessoa certa para você. Talvez eu também não seja a pessoa errada, e o nosso erro seja esse, só saber viver nos extremos. Talvez eu seja apenas esse vazio entre o que você quer e o que eu não posso ser. E de vazios ninguém vive. Vazios podem dolorosamente ocupar espaços, mas não preenchem almas que anseiam por um pouco mais. Ou talvez não seja nada disso. Talvez eu seja o amor da sua vida, mas não dessa vida. Talvez ainda haja magia, ainda haja verdade, e, por algum encanto, passe a tempestade e surja um arco-íris, trazendo o reconforto dos sonhos de criança. E talvez além do arco-íris, junto com um pote de ouro, exista um fim para tudo o que se sente sem não mais querer sentir. Talvez possa-se trocar toda a riqueza do tesouro por não se ter mais sentimentos, pensamentos, por alguém que não se pode alcançar. Talvez o prêmio para quem soube amar seja um dia não mais doer, todo amor que não era pra ser. Talvez.

terça-feira, 5 de junho de 2012

E eu só lamento.



E eu queria escrever um texto que significasse uma despedida bonita pra todos os anos que... todos os anos que. Mas eu sei lá. Tinha que ter algo no final que dissesse... que eu lamento, sabe? Lamento profundamente. Que você tenha tido todos os medos e defesas que um dia eu também tive, mas que desapareceram e que eu não tenho mais...
Eu quis dizer: “É você que eu quero.” E eu disse. E eu esperei que você viesse e... eu sei que você quis... mas não conseguia.


segunda-feira, 4 de junho de 2012

E pra você que é de lua...


Desculpa, mas um dia tudo cansa ( e quem foi bipolar de fato tem que se tratar!) Amor já exige naturalmente tanto, se ainda trouxer pranto e a cabeça doendo tanto, por pensar e tentar entender o outro, o caminho será um só: o fim (simples assim). Por que alguém que você ama muda se  você não muda ? Dois em um não presta nem em shampoo; vai prestar logo no amor ?
Então, é isso aí, se puder se acostuma, ando me contentando com pouco, trocando um por vários três. 
É que um bom ponto final tem me saciado muito mais do que um milhão de reticências. 
Ter dúvida no amor é tolerável, se relacionar com uma dúvida é enlouquecedor.
Lute por um louco a menos no mundo e diga "adeus". Para gente de lua seja eclipse, 
D-E-S-A-P-A-R-E-Ç-A!

Mesmo que eu me atrase um pouco ...





Pra você, moço travesso...

Tenho me acostumado a rir muito mais de mim mesma porque você me acha engraçada e a sair mais enfeitada porque mesmo sabendo que não, tenho a impressão de que você me vê andando por aí, escutando sempre as mesmas músicas, no mesmo horário de sempre, mudando apenas os caminhos. Tenho me acostumado às mensagens ao longo do dia, aos seus mimos, a você sendo meu ouvinte passivo e sempre tão assertivo nas suas opiniões. Gosto dos seus cuidados e do respeito que você tem pelo meu lado mais maduro. Mas eu sei que você adora minhas molecagens e me espera à noite pra tomar chá comigo, talvez ansioso porque estou demorando um pouco mais. Secretamente, sem perceber, criamos nossos horários para promover e aproveitar mais os nossos encontros.
Tenho me acostumado a receber, eu que sempre dei até o que não tinha. E você me proporciona a vivência de um entusiasmo sem culpa. Antes eu achava que não era delicado estar tão feliz enquanto alguns sofriam. E por estas e tantas, tenho vontade de presentear você compartilhando um lado meu que talvez eu ainda não conheça, mas que você, com sua amorosidade, vem me ajudando a conhecer me dizendo com delicadeza detalhes sobre mim que eu nunca havia percebido_ tua sensibilidade é comovente. Gosto tanto da beleza que você me deu!Gosto do seu olhar atencioso e da sua maneira prática de me ajudar respeitando afetuosamente o meu tempo de resolver as coisas. Porque gasto muito tempo só sentindo, observando, contemplando, percebendo, mergulhando, vindo à tona e entregando as coisas pro Universo... Por isso, eu te peço: não tenha medo, eu não fujo do que é bom, eu aceito e agradeço...

(Tenho me acostumado a ter você por perto, por dentro, todos os dias, pra sempre... Hoje!)

Então, me espere para o chá das nove... Mesmo que eu me atrase um pouco.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Feito Criança.






Deixe-me gostar de você feito criança porque descobri que é o único jeito que consigo gostar de verdade, sem confusão, sem hipocrisia. Deixe-me gostar de você da forma mais simples, sem por quês, sem perguntas, sem articulações.
Se eu ou você pensarmos muito e nos colocarmos sob o crivo da razão teremos que ver, entre as nossas qualidades, também os nossos defeitos. Teremos que ver a treva que coabita com a nossa luz. Então deixe-me gostar de você como criança. Criança gosta sem pensar.
Deixe-me gostar de você sem cobranças, sem compromissos que não sejam aqueles que nós dois estabelecemos para nós mesmos, e não aqueles que os homens inventam que devemos seguir a risca, toda vez que resolvemos gostar.
Deixe-me gostar de você da forma mais inocente que eu puder. Neste gostar permita-me descartar toda a cultura, filosofia, modismos, conceitos ou preconceitos, dogmas, todo e qualquer mandamento ou imposição que venham de fora. Quero apenas ouvir meu coração, assim como quero que você ouça o seu.
Se eu ficar com você um minuto, uma semana, um mês ou um ano, que seja pelo real prazer de ficar, pois aprendi que não é a duração, mas a qualidade que transforma um único minuto numa experiência com gosto de eternidade.
Deixe-me gostar de você sem expectativas, sem planos para o futuro, sem gaiolas que limitem o meu querer porque o futuro é tão incerto e nunca é do jeito que pensamos. Se nos gostarmos de verdade, é possível que haja muitas ações no presente, e é só isto o que verdadeiramente importa.
Acima de tudo, deixe-me gostar de você deixando-o completamente livre para ficar ou para partir. Deixe-me gostar de você sem máscaras e sem verniz. E se um dia eu dizer adeus e partir, creia, será no exato momento em que eu descobrir que já não sou mais capaz de me fazer ou de lhe fazer feliz.

                                                                                                                   Créditos: Texto: Fátima Irene Pinto 

segunda-feira, 28 de maio de 2012

É.

Nem sempre o amor tem o mesmo ritmo. Nem sempre quem amamos é quem nos faz feliz. 

terça-feira, 22 de maio de 2012

Quando você sentir que deve ir, vá!


[...]

Nem sempre as coisas acontecem na velocidade que a gente gostaria, com a pessoa que a gente gostaria, do jeito que a gente gostaria... mas, como bem já disse a Marla, "só quem tem disposição pro amor eterno é que o aceita e o vive como tal, mesmo que ele dure o tempo de um cigarro aceso. Porque é para isto que vivemos: para descobrir a eternidade que têm as coisas perecíveis: eternidade que está em nós..."


*

Em tempo: Quando você sentir que deve ir, vá! ... Se a gente pondera demais um mundo de receios e medos, não sente tanta coisa quanto acha que sente. Não há como se expor sem passar pelo custo da exposição. Mas se você foi e teve a impressão que ele não veio, se perceber que está indo sozinha ou porque ele não sente a mesma coisa, ou porque ele escolheu outro caminho, os sentimentos são seus e depois de um tempo eles encontrarão outro destino.... (Eu sei).




                                                      Da LINDA da Elenita Rodrigues >.<

segunda-feira, 21 de maio de 2012

E hoje me perguntaram o que eu estava sentindo: - " Simples...Saudades"




O que eu queria era uma medida capaz de em uma única palavra marcar o tempo de a gente se reencontrar ou de eu deixar de te esperar. Não é justo a vida oferecer o "nunca" a quem vive sempre, sempre amando, sempre esperando alguém. E até quando eles vão chegar e eu vou continuar querendo você? Quando conto de nós, sempre perguntam curiosos sobre você: "O que ele faz?". "Falta", eu respondo. Você sabe, você sabe que faz falta, é só a falta que não sabe o que faz. 
A verdade é que eu preciso saber quando vai acabar ou preciso que você fique e faça realmente não ter fim. 




Copiem. Decorem. Aprendam.





E depois de meses sem vir aqui, hoje me bateu uma saudade dessa minha meninice que me amadurece, rsrs’.
Abaixo vai uma boa explicação pra tamanha ausência... Feito pra mim, pra hoje, exatamente agora...


“As pessoas ficam procurando o amor como solução para todos os seus problemas quando, na realidade, o amor é a recompensa por você ter resolvido os seus problemas.”

COPIEM. DECOREM. APREDAM.

Não importa o que você faça, tuuudo tem conseqüência. Tuudo! Até o tempo que nos damos, tem um bom retorno, acredite, experimente!:D
Se dê de presente uma boa dose de tempo, e receba tranqüilidade.